semtelhas @ 13:31

Qua, 26/03/14

 

Dois John's, Le Carré e Updike, dois livros, O Amante Ingénuo E Sentimental, e, Brasil, a mesma fantástica capacidade de contar histórias! Le Carré, inglês, muito influenciado, quase paradigma, dessa forma muito britânica de estar na vida, encarada como um desafio a, sem dúvida! vencer, mas tentando observar um certo numero de regras, de entre as quais uma certa nobreza, frontalidade, mas também crua frieza de processos, incidindo essencialmente sobre as pessoas e as suas circunstâncias e menos sobre o ambiente circundante, serão porventura as que mais os distingue. Updike, oriundo dos EUA, com uma visão muito mais larga, no sentido da interação entre as pessoas, onde são dadas mais asas à imaginação, para isso beneficiando da maior exploração das ambiências, dos cenários onde decorre a ação.

 

Estão bem presentes estas características em cada um destes romances. O primeiro em volta das relações tempestuosas entre um trio amoroso para mostrar as virtudes e os pecados de uma vivência faz de conta, vendida aos interesses mundanos, uma espécie de hipotecar da alma, onde uma verdadeira existência, assente na verdade e consequente autenticidade de sentimentos, não tem espaço para resistir. Três personagens fabulosos, no sentido literal do termo, tão excessivos quanto inesquecíveis e portadores das mensagens estruturais das fábulas. O segundo seguindo uma viagem verdadeiramente arrebatadora de um rapaz e uma rapariga, em tudo diferentes, menos na visceral vontade de viver, e capacidade de sobreviver. Incrível como acontecendo as habitualmente consideradas mais horrendas situações, o plano em que o autor as apresenta torna-as não só suportáveis como quase normais. Sábia lição de vida.

 

Em comum estes dois magnifícos escritores possuem a maravilhosa magia de realmente transportarem o leitor ao mundo dos pesadelos e dos sonhos através de absorventes narrativas. Nestes casos importa menos a forma como o fazem, como a utilização mais ou menos repetida de truques da profissão, ou da pouca verosimelhança em algumas partes dos relatos, mas muito mais a óbvia capacidade literária demonstrada por vastos conhecimentos nas matérias abordadas, e sobretudo pela excelência da prosa. Ler estas obras pode não modificar estruturalmente a vida de uma pessoa, mas que daquela, no seu sentido mais amplo, lhe vai dar uma série de sinais importantes para o futuro também é verdade e, não menos significativo, fazem-no de uma forma leve, quase divertida!

 

 


direto ao assunto:

"O medo de ser livre provoca o orgulho de ser escravo."
procurar
 
comentários recentes
Pedro Proença como presidente da Liga de Clubes er...
Este mercado de transferências de futebol tem sido...
O Benfica está mesmo confiante! Ou isso ou o campe...
Goste-se ou não, Pinto da Costa é um nome que fica...
A relação entre Florentino Perez e Ronaldo já deve...
tmn - meo - PT"Os pôdres do Zé Zeinal"https://6haz...
A azia de Blatter deve ser mais que muita, ninguém...
experiências
2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


mais sobre mim