cores da lua @ 23:54

Qua, 23/05/12

Um ritual, um vicio, depois do almoço, o café.

Mas hoje, o instante de todos os dias, foi diferente, surpreendente, prolongado.

 

Na mesa um café, na mão esquerda um pacote de açúcar. Até aqui nada de novo, até que os meus olhos se cruzam com uma andorinha! Uma andorinha sim, preta, no pacotinho de açúcar. De repente senti-me viajar muitos anos atrás, à infância, ao lar doce lar. Casa portuguesa, tinha na fachada, andorinhas, concerteza!

 

Lembro-me do contraste, o preto, no azul-bebé das paredes. Um bando de andorinhas, quase sempre ameaçado pelas bolas, desgovernadas, dos traquinas: os rapazes. Um bando de andorinhas protegido, como uma espécie viva, pela minha mãe. – M…, vai jogar a bola lá para o fundo, se partes uma andorinha….

De vez em quando, era inevitável, acontecia. De vez em quando, nas romarias, nas festas populares, renovava-se a espécie, e a primavera continuava.

 

 

 

Ansiava pelo ano em que a pintura da casa se renovava. Argumentava, sem resultado - vais estragar a parede, pintada de fresco, não coloques as andorinhas, é piroso!

Certo ano, vi com efeito os meus argumentos e não vi mais, nas paredes lá de casa, as andorinhas. Curioso, nos últimos tempos, casas bonitas, serenas, tranquilas, estão de novo embelezadas, por andorinhas!. Faz-me pensar, outros tempos, outras vontades.

 

Arrefecia o café, queria trazer a andorinha comigo, por isso decidi-me a cortar um cantinho do pacotinho de açúcar. Faz-me pensar.

 

Bebi o café e tentada a não perder a andorinha, pedi à sra. D…, dona do café, se me podia dar mais um daqueles pacotinhos, inteiro. – Oh! Era o único; mas vai levar a colecção, é uma edição limitada e vou separar-lhe um de cada. Foi aí que descobri, a colecção, símbolos de Portugal, da RAR. Apesar de eu insistir que agradecia mas só queria mesmo a andorinha, lá estava a sra. D… e o sr. M… entre os pacotinhos, a separar um exemplar, de cada símbolo, para mim. A dona D… o senhor M…, colegas de trabalho, o melhor dos melhores exemplos que conheço de uma equipa de trabalho, duas pessoas, numa sintonia, só comparável à natação sincronizada.

 

Feliz, pela andorinha, pelas memorias, pelo momento proporcionado pela RAR,  pela inexcedível boa vontade da sra. D… e sr. M…., trouxe os exemplares comigo.

 

 

A colecção – 30 SIMBOLOS DE PORTUGAL – , não tenho espírito de coleccionadora, no sentido material, mas vou guardar estas memorias, doces.

 

http://www.docerar.pt/index.php?id=183

 

 

 

 

 

 

 

 

 


direto ao assunto:

galego @ 13:02

Sab, 16/02/13

 

O sempre polémico Real Madrid......


cores da lua @ 10:31

Sab, 16/02/13

 

Sí, por supuesto, la suerte es trabajo duro y Mourinho es un maestro en el trabajo. Así que es un ganador.

gallego @ 10:02

Sex, 15/02/13

 

jose mourinho merece respeto y aquí (en españa) no se lo tenéis. No ha ganado tantos títulos por casualidad (sabias palabras de Sir Alex Ferguson)

"O medo de ser livre provoca o orgulho de ser escravo."
procurar
 
comentários recentes
Pedro Proença como presidente da Liga de Clubes er...
Este mercado de transferências de futebol tem sido...
O Benfica está mesmo confiante! Ou isso ou o campe...
Goste-se ou não, Pinto da Costa é um nome que fica...
A relação entre Florentino Perez e Ronaldo já deve...
tmn - meo - PT"Os pôdres do Zé Zeinal"https://6haz...
A azia de Blatter deve ser mais que muita, ninguém...
experiências
2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


mais sobre mim